Faça sua reclamação sobre uma empresa, loja ou serviço!

Ouvidoria Hospital Santa Marcelina – Telefone, Reclamação

O Hospital Santa Marcelina é uma instituição filantrópica e privada que destina quase 90% do seu atendimento ao Sistema Único de Saúde.

Ouvidoria Hospital Santa Marcelina

O Hospital Santa Marcelina foi fundado em 1961, pela inspiração da Superiora Sophia Marchetti, irmã da Congregação das Irmãs de Santa Marcelina  e primeira administradora do hospital, com objetivo de sanar as necessidades em saúde da população da região.

A região era muito carente e sofria com problemas de infraestrutura, mas com a inauguração do hospital o bairro de Itaquera se desenvolveu e hoje estima-se aproximadamente mais de seis milhões de habitantes/km² na Zona Leste.

Se está tendo algum problema com algum serviço do Hospital Santa Marcelina, disponibilizamos telefones, e-mail, SAC e reclamações na Ouvidoria Hospital Santa Marcelina.

São diversos os benefícios oferecidos pelo Hospital Santa Marcelina, que é considerado referência de qualidade na prestação de serviços de saúde na Zona Leste da cidade de São Paulo e uma das mais importantes unidades de saúde do Estado.

Fale Conosco, SAC e Atendimento Hospital Santa Marcelina

Ao se tornar cliente Hospital Santa Marcelina, você terá todo o suporte para um excelente serviço hospitalar e de saúde, com diversos meios de contato e telefone divididos para um atendimento mais personalizado, conforme a necessidade de cada cliente:

Banco de sangue: (11) 2070 6081 | (11) 2523 0546

PABX: (11) 2070 6000

Central de Relacionamento (agendamento de consultas e exames Convênios e Particulares): (11) 2523 7800

Se for da preferência do cliente, o contato também pode ser efetuado através da conta do Facebook e tudo em um só clique no link do Hospital Santa Marcelina (https://santamarcelina.org/) após rolar a página até o final.

O SAC Hospital Santa Marcelina oferece telefones, e-mails e formulário para atendimento rápido e eficiente a fim de solucionar os problemas apresentados pelos clientes, tirar dúvidas e receber elogios:

Formulário: https://santamarcelina.org/sac/

SAC- Serviço Atendimento ao Cliente – Unidade Itaquera

Telefone: (11) 2070 6098 e (11) 2070 6362

E-mail: sac@santamarcelina.org

SAC- Serviço Atendimento ao Cliente – Unidade Itaim Paulista

Telefone: (11) 2563 6300

E-mail: sac.itaim@oss.santamarcelina.org

SAC- Serviço Atendimento ao Cliente – Unidade Itaquaquecetuba

Telefone PABX: (11) 4645 4200

Telefone SAC: (11) 4646 7718

E-mail: sac-itaqua@oss.santamarcelina.org

Telefone de Reclamação Hospital Santa Marcelina

SAC- Serviço Atendimento ao Cliente – Unidade Cidade Tiradentes

Telefone PABX: (11) 2559 6200

E-mail: sau@oss.santamarcelina.org

SAU – Serviço Atendimento ao Usuário – AME Zona Leste Santa Marcelina Itaquera

Telefone: (11) 2070 6361

E-mail: sau.ame@oss.santamarcelina.org

Telefone, Email, Ouvidoria Hospital Santa Marcelina

Tornando mais completo o serviço de atendimento ao cliente, a instituição disponibiliza telefones Hospital Santa Marcelina e outros meios de contato independentemente das localidades onde se encontram os clientes, mas sempre conforme suas necessidades, como já informado anteriormente.

Para os clientes, os telefones para contato servem para consultas, informações, elogios, reclamações e cancelamentos, tornando o atendimento completo. Os não clientes também podem obter informações através do SAC para esclarecer dúvidas antes de adquirir algum serviço.

O Hospital Santa Marcelina não possui uma Ouvidoria direta. Eventuais reclamações devem ser efetivadas diretamente em um dos canais já informados anteriormente. O hospital possui uma equipe treinada para solucionar todas as possíveis falhas na prestação de serviços.

Se você não utilizou seus serviços, o Hospital Santa Marcelina ainda traz a facilidade de poder conhecer os serviços oferecidos diretamente pela internet, no site oficial já informado.

Reclamação Hospital Santa Marcelina

Como toda grande empresa, o Hospital Santa Marcelina também possui problemas e tenta, diariamente, superá-los para melhor atender seus clientes. A participação destes de forma mais ativa, relatando as falhas para que possam ser rapidamente resolvidas é a forma de fazer com que a equipe da instituição trabalhe mais ativamente para oferecer o que há de melhor quando o assunto é serviço hospitalar e saúde.

Sua maneira de agir é que traz confiança ao cliente que, sabendo das possíveis falhas em uma prestação de serviços, irá utilizar os serviços do hospital ciente de que, qualquer que seja a adversidade, o Hospital Santa Marcelina estará pronto para rapidamente resolver.


5 Reclamações

SUELI · 25 de fevereiro de 2020 às 10:37

MEU IRMÃO ENTROU NO HOSPITAL DIA 5 DE FEVEREIRO ANDANDO E RESPIRANDO, COM ÁGUA NO PULMÃO, DEMORARAM QUASE 9 DIAS PRA DRENAR, E AGORA ELE ESTÁ COM FALTA DE AR O TEMPO TODO. SEDADO E ENTUBADO. A FALTA DE SOCORRO FOI DEMORADA DEMAIS. E A MEDICA CHAMADA “LINDICE” AINDA USOU ESSES TERMOS CHULO: O FIGADO DO TEU IRMÃO ESTÁ INDO PRO SACO, COMO SE FALASSE DE ALGO QQUER. HOJE MEU IRMAÕ SÓ ESTA PIORANDO.

Betina R Lourenco · 11 de novembro de 2019 às 16:49

Quero fazer uma reclamação quanto à qualidade dos serviços prestados pela unidade Neomater da rede Santa Marcelina.

Moro próximo à unidade e achei uma maravilha quando foi reaberto, mas tem sido decepção atrás de decepção.

Tenho 2 filhos e tive a infelicidade de ir ao hospital 2 vezes nesses últimos 3 dias… vejam o que aconteceu:
Sexta dia 8/11 por volta de 15hs fui à unidade com meu filho mais novo de 8 meses com quadro de tosse e febre constante que só cede com remédio. Ele passou com a Dra Jessica Hiuna Luppi Betio – CRM 190429.
Ela o examinou e de acordo com o que eu falei moldou a sua resposta… Eu disse que ele apresentava um quadro de tosse há alguns dias e tinha apresentado febre na noite anterior, mas como eu falei à ela que já tinha consulta marcada para o dia seguinte com uma pneumologista, ela se esquivou de qualquer responsabilidade.
Ela disse: “mantenha o que vc já está fazendo (limpeza com soro, inalação e antitérmico), e como vc vai na pneumologista amanhã eu nem vou prescrever um antibiótico para não ‘atrapalhar’ o diagnóstico dela, pois para mim o que ele tem é uma gripe forte”. Pois bem… fui embora com esse diagnóstico (que no final das contas fui eu que dei), durante a noite ele teve febre de 39,6 graus e no dia seguinte fomos ao médico.
A médica pneumologista iria examinar os problemas respiratórios que ele vem apresentando, mas devido à febre fez um exame mais extenso e identificou: Otite Média.
A Dra Jessica examinou os ouvidos dele e disse que estavam limpos, não apresentavam problema nenhum!! Como pode tamanha irresponsabilidade? E se eu não tivesse outro médico agendado, ia ficar com meu filho com febre até quando, sendo que eu já tinha o diagnóstico de um médico? Fui verificar o CRM dela e ela não tem nenhuma especialização em pediatria. Para um médico que atende SOZINHO na emergência de um hospital, pelo menos algum tipo de especialização deveria ser requerido, não? Se ela não sabe identificar uma Otite, o que terá capacidade de fazer?

Domingo dia 10/11 por volta de 8:30hs da manhã estive lá novamente, agora com minha filha de 6 anos, e desta vez passamos com a Dra Gabriele de Oliveira – CRM 198865 – também sem especialidade.
Minha filha reclamava de muita dor de barriga e dor de cabeça. A Dra a examinou, apertou e disse que ela não tinha nada. Eu questionei se não daria nem um remédio para dor e ela disse que ia dar novalgina. Aí falei pra ela da minha insatisfação com o hospital com o que tinha ocorrido na sexta e ela: “bom senhora, então vou pedir um exame de glicemia da sua filha”. E assim fez… espetaram a minha filha e até agora não entendo o porquê! Não deveria ter deixado!
Pior… ao fazer a ficha na triagem a enfermeira questionou se ela tem alergia e eu informei: ranitidina e amoxil. Agora adivinhem qual o remédio que a digníssima doutora prescreveu? Ranitidina!! Ainda bem que antes de ela entregar o papel pra enfermeira eu perguntei o que era e ela disse, na hora eu retruquei: a senhora não viu que ela é alérgica? E ela disse que não, aí até as enfermeiras ficaram indignadas e disseram em coro: Dra está na ficha dela. Pois bem, ela voltou pra sala dela e veio com novalgina e dramin – e cadê o protetor gástrico? Ou seja, ela não fazia ideia do que dar pra minha filha!! Olha… tá complicado… deixei dar os dois remédios pq sei que não iriam fazer mal, mas qualquer outro procedimento que ela tentasse – ainda mais se tentasse via venosa, eu não ia deixar.

Tenho percebido em todas as vezes que fui lá – infelizmente, já fui umas 8 vezes e apenas em uma delas foi um profissional um pouco mais experiente que nos atendeu. Em todas as outras somos atendidos por médicos recém-formados (afinal o salário deles deve ser bem menor). Eu entendo que os recém-formados tem que ter a chance de trabalhar e em alguns casos são muito bons, mas no Neomater não é o que vemos… Os médicos não passam firmeza em sua análise e muito menos no diagnóstico. Eles tinham que estar acompanhados por médicos mais experientes e não serem responsáveis, ainda mais quando estamos falando de bebês e crianças! Um diagnóstico errado pode levar uma criança à morte!!
Além disso, pelo que busquei na internet, os conselhos de pediatria indicam que nossos filhos não sejam atendidos por profissionais sem especialidade em pediatria, mas vocês nos forçam a isso justamente num atendimento de emergência?
Eu havia divulgado a reabertura do Neomater no bairro e nos grupos de mães que participo, mas também já partilhei das 2 ocorrências infelizes e vou continuar não indicando mais o hospital para atendimento pediátrico – infelizmente pois SBC está carente de hospital.

Eu pago e bem caro para ter profissionais atendendo minha família, mas não estou podendo contar com isso no hospital Neomater. Acredito que em uma UPA sairei mais bem atendida – ou pelo menos com um pouco mais de garantia de um diagnóstico correto.

Jessica Hiuna Luppi Betio – CRM 190429 – sem especialização
Gabriele de Oliveira – CRM 198865 – também sem especialidade

Roberta de oliveira · 27 de agosto de 2019 às 19:08

Como pode tanta demora no pronto socorro, estou a seis horas com meu irmão Sebastian Oliveira, hesquisofrenico, diabético, hipertensão aguardando. Precisa da intervenção da secretaria da saúde… Fora o péssimo atendimento pela atendente para esclarecer sobre chamada após rápida ausência.

Roberta de oliveira · 27 de agosto de 2019 às 19:06

Como pode tanta demora no pronto socorro, estou a seis horas com meu irmão Sebastian Oliveira, hesquisofrenico, diabético, hipertensão aguardando

Simone Gaion · 15 de março de 2019 às 15:26

Só observando… Meu pai na lista de espera desde o mês de julho de 2018 com um tumor de 1,5cm para operar com a equipe da Urologia. Quero ver quem vai se responsabilizar se essas células cancerígenas se espalharem para outro órgão. Tenho tudo registrado e tudo dicumentado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *